Colágeno Snella - Blog hidrolisado x peptídios

Vamos começar pelo começo... Primeiramente, entendendo que colágeno é uma proteína formada por uma tripla hélice de aminoácidos que formam as estruturas de sustentação do corpo, como se fossem cabos de aço. Portanto, colágeno é uma estrutura grande e complexa.

Quando nós ingerimos esta proteína ao comer alimentos de origem animal como as carnes, por exemplo, nosso organismo precisará fazer um processo digestivo para quebrar esta proteína em partes menores (que denominamos peptídeos) e em partes menores ainda (que são chamados aminoácidos). Esse processo digestivo faz a hidrolise, ou seja, a quebra do colágeno em partículas menores. Colágeno hidrolisado, portanto, é um colágeno quebrado em partes menores para facilitar a absorção no intestino. E não se tem controle da forma e tamanho desses pedacinhos resultantes.

Existem opções no mercado de produtos à base de colágeno hidrolisado, e o objetivo destes é de facilitar a absorção uma vez que o organismo não precisará fazer (ou precisará fazer pouca) digestão para então absorver os peptídeos e aminoácidos.

Nós absorvemos, portanto, após a digestão, os aminoácidos e alguns peptídeos por ter consumido um alimento rico em colágeno (ou um produto a base de colágeno hidrolisado); e o organismo irá utilizar estes peptídeos e aminoácidos para a construção de estruturas do organismo que precisem ser regeneradas (osso, músculo, tendões, ligamentos, vasos sanguíneos, órgãos, sangue, pele...).

Comer alimento rico em colágeno (ou produto a base de colágeno hidrolisado) não é garantia que este colágeno vai parar aonde você deseja, por exemplo, na pele ou unhas, cabelos... Estes peptídeos e aminoácidos serão destinados de acordo com a prioridade do organismo. E cada organismo tem as suas prioridades...

Por isso que você pode ingerir alimentos ricos em colágeno ou ainda um produto a base de colágeno hidrolisado e ver, por exemplo, uma melhora na pele; mas outra pessoa usar o mesmo produto e a mesma dose, e não sentir estes benefícios. Isso ocorre porque ao ingerirmos colágeno hidrolisado ou algum alimento rico em colágeno (que será hidrolisado no organismo) esses aminoácidos e peptídeos serão direcionados para onde o organismo entende necessário, o que talvez não coincida com o destino para onde você gostaria ou espera.

É por isso que a tecnologia de colágeno foi além e descobriu que dependendo do jeito como o colágeno é hidrolisado, os peptídeos resultantes (que chamamos de peptídeos bioativos do colágeno hidrolisado) podem servir como estímulo para determinadas células do corpo. E neste caso, aí sim é possível garantir que o consumo de determinado tipo de peptídeo bioativo vá proporcionar um resultado esperado numa parte específica do corpo.

São partículas muito pequenas que foram quebradas de uma maneira controlada por um processo industrial muito especial. Portanto, devido a um peso molecular muito baixo, essas partículas são absorvidas pelo intestino boa parte do jeito como foram ingeridas (ou seja, são absorvidos peptídeos íntegros). E após ingerir e absorver no intestino, caem na circulação sanguínea e chegam até células específicas do corpo, agindo como um indutor, um sinalizador, ou um precursor para a síntese (produção) de mais colágeno no corpo.

Sendo assim, o colágeno hidrolisado e os peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado agem de modo diferente no organismo. Atualmente o que se tem de mais inovador em se tratando de reposição de colágeno são os peptídeos bioativos que estimulam no núcleo de células específicas uma maior síntese de novo colágeno.

E por isso, que dependendo do peptídeo bioativo que foi ingerido, o resultado aparecerá prioritariamente em um local ou outro do organismo. Sendo assim, para o colágeno funcionar, basta escolher o tipo certo dependendo do objetivo! Por exemplo, se você procura um colágeno que melhore o aspecto da pele, mas está usando um colágeno que não tem esse direcionamento específico, pode ser que fique frustrada(o). Mas escolhendo o tipo certo, irá se surpreender com os resultados em cerca de 30 a 60 dias.

Além dos resultados visíveis e diversos depoimentos que chegam diariamente, é crescente o número de pesquisas científicas mostrando que os peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado funcionam. Elas comprovam que essas partículas são detectadas íntegras no sangue após o consumo, e que se direcionam para partes específicas do corpo, estimulando-as para uma maior produção natural de colágeno. Esta informação é muito interessante pois permite que possamos escolher qual (ou quais) peptídeo(s) bioativo(s) de colágeno hidrolisado queremos consumir, a fim de verificarmos resultados condizentes com nossos objetivos.

 


Referências:

Lodish H, Berk A, Zipursky SL, et al. Molecular Cell Biology. 4th edition. New York: W. H. Freeman; 2000. Section 22.3, Collagen: The Fibrous Proteins of the Matrix. 

Proksch E, Schunck M, Zague V, Segger D, Degwert J,Oesser S. Oral intake of specific bioactive collagen peptides reduces skin wrinkles and increases dermal matrix synthesis. Skin Pharmacol Physiol. 2014;27(3):113-9.

Proksch E, Segger D, Degwert J, Schunck M, Zague V, Oesser S. Oral supplementation of specific collagen peptides has beneficial effects on human skin physiology: a double-blind, placebo-controlled study. Skin Pharmacol Physiol. 2014;27(1):47-55.

Schunck M, Zague V, Oesser S, Proksch E. Dietary Supplementation with Specific Collagen Peptides Has a Body Mass Index-Dependent Beneficial Effect on Cellulite Morphology. J Med Food. 2015 Dec;18(12):1340-8.

Hexsel D, Zague V, Schunck M, Siega C, Camozzato FO, Oesser S. Oral supplementation with specific bioactive collagen peptides improves nail growth and reduces symptoms of brittle nails. J Cosmet Dermatol. 2017 Dec;16(4):520-526.

Guillerminet F, Beaupied H, Fabien-Soulé V, Tomé D, Benhamou CL, Roux C, Blais A. Hydrolyzed collagen improves bone metabolism and biomechanical parameters in ovariectomized mice: an in vitro and in vivo study. Bone. 2010 Mar;46(3):827-34.